PUB
                             
Tendências / Desfiles - 26.10.2018

Nos últimos anos, assistimos a um momento “de viragem” na joalharia portuguesa. Novos talentos, novas abordagens e novas marcas fizeram crescer um setor de forte tradição em Portugal, que rapidamente alcançou os mercados internacionais mais promissores. As novas joias fazem-se da mistura dos mais diversificados materiais, desde os mais nobres e sofisticados aos mais ousados e originais. Reunimos alguns dos nomes que melhor representam o espírito criativo da nova joalharia portuguesa.

 

Juliana Bezerra

As suas joias nascem pelas suas próprias mãos e são criadas segundo técnicas artesanais: a forja, a fundição e a cravação. As suas criações propõem sempre novas formas e texturas inspiradas na natureza. A “Jardinista”, inspirada por ilustrações botânicas, é uma das suas mais recentes coleções e encerra muito bem a identidade que caracteriza a sua arte.

 

Inês Telles

Criadas através de processos manuais e tradicionais da joalharia, as joias desta artista são feitas em prata e ouro e compõem pequenas coleções exclusivas. A sua formação em História da Arte oferece-lhe várias inspirações, muitas vezes ligadas à história e a outras culturas.

Tânia Gil

Esta designer gosta de explorar a fusão de materiais nobres, com a plasticidade de novos materiais como resinas, materiais orgânicos, madeira ou cortiça e inspira-se nas memórias registadas pela natureza. São as folhas, as sementes, as conchas, os fósseis e os troncos que “dão asas” ao seu processo criativo.

Carolina Curado

A sua formação em Biologia justifica o estilo das suas peculiares coleções. Insetos, crânios de animais e caveiras humanas são aplicados a brincos, fios, anéis e pulseiras. A sua matéria-prima de eleição é o latão, posteriormente, adornado por zircões, pérolas ou pedras.

 

Dalila Gomes

O desenho minimalista e depurado é inerente a todas as suas criações. São joias geométricas, feitas à mão, que exigem rigor e minúcia. A arquiteta que escolheu dedicar-se à arte da joalharia, apresenta novas joias uma vez por ano, em ouro ou prata, e os brincos são quase sempre a peça por onde inicia cada nova coleção.

 

Ana João

Numa abordagem irreverente, a joalharia alia-se à porcelana para formar peças simultaneamente elegantes e descontraídas. A liberdade de construção é conjugada na perfeição com a nobreza e sofisticação dos materiais escolhidos. A caixa de joias ou bomboneira Pineapple Monster é a peça de autor que acaba de se juntar às suas coleções.

Artigos relacionados...

A beleza e elegância do Turbilhão

O símbolo da exclusiva arte da alta relojoaria

Os novos vestidos de Gio Rodrigues para casar e sonhar

Nova Coleção 2020 Gio Rodrigues encanta no Estoril

Luísa Rosas

Inspiração em família

A homenagem à astronomia da Jaquet Droz

Os dois novos Grande Heure Minute da coleção Astrale

dinh van, o espírito livre da joalharia

Surpreenda com joias dinh van no Dia da Mãe

Os Mais Vistos

Lifestyle

Um dia em família no Oriente de Lisboa

Lifestyle

As preferências dos consumidores

F Luxury no Instagram